Angola: Novas prisões e política de integração da juventude

Angola: Novas prisões e política de integração da juventude


O Governo angolano anunciou que 12 prisões vão entrar em funcionamento este ano, com vista a mitigar a superlotação das cadeias do país.

Frente a esta decisão anunciada pelo director nacional dos Serviços Prisionais, António Joaquim Fortunato, na semana passada, analistas questionam se o Executivo deve preocupar-se com a abertura de mais estabelecimentos prisionais ou criar políticas de integração da juventude.

O psicólogo e docente universitário Sanda Wa Ma Kumbu considera que as instituições do Estado devem evitar o surgimento de novos criminosos criando condições para a ocupação da juventude tanto no campo como nas cidades.

O responsável dos serviços prisionais António Joaquim Fortunato disse que os cerca de 12 centros prisionais em construção vão permitir perto de 10 mil lugares que vão descongestionar os estabelecimentos prisionais das cidades mais populosas do país

A população penal em Angola está estimada em cerca de 24 mil reclusos, 33 por cento dos quais a cumprir pena nas cadeias de Luanda.

Na capital estão 8.112 reclusos, o que representa 40 por cento acima da capacidade instalada.

Fonte: www.voaportugues.com

Partilhe nas Redes


[Fonte da Notícia]




Notícias semelhantes




Comentar esta Notícia